jusbrasil.com.br
22 de Outubro de 2019

Advocacia home office: como fazer da sua casa o seu escritório

Cada vez mais presente, o trabalho home office traz uma série de possibilidades para profissionais do setor jurídico.

Escritório Online, Advogado
Publicado por Escritório Online
há 6 meses

Por Luís Gabriel

No passado, parecia impossível um advogado trabalhar de casa ou, na linguagem mais descolada, fazer home office. Com processos em papel, reuniões com clientes e parceiros, e organização de documentos em pastas, o espaço físico seria insuficiente para armazenar coisas pessoais e profissionais em um só lugar.

A tecnologia mudou esse cenário. Advogados sequer precisam estar no mesmo espaço para trabalhar em equipe. Com o processo eletrônico, por exemplo, ele ou ela podem protocolar uma ação usando qualquer computador habilitado.

Se você quer advogar ou aumentar sua eficiência trabalhando em casa, precisa entender o seguinte.

Escritório físico é só um sonho de consumo

A faculdade de Direito não ensina ninguém a gerenciar seu próprio negócio, mas, tirando aqueles que desejam atuar no setor público, quase todos os que saem de lá sonham em ter uma sala e construir o seu escritório. Desapegue dessa ideia. A advocacia não exige um espaço físico para funcionar, isso é apenas uma questão de status.

Um smartphone, um computador e outros aparelhos funcionais - impressora, scanner - são tudo o que você precisa para trabalhar. E, claro, não se esqueça de ter um serviço bom de internet.

A comunicação com os clientes pode ser feita virtualmente. Basta um smartphone ou um computador e uma aplicação como o Skype ou Appear.In para conversar com eles. São raras as pessoas que vão ao escritório para falar com o advogado em particular - por que perder tempo de deslocamento se há tantos meios de se comunicar?

Caso o cliente precise de uma reunião presencial, existem os coworkings. Além disso, você pode ir ao seu cliente, encontrando-o em lugares mais intimistas e leves como uma cafeteria ou na própria casa dele.

Você não precisa concentrar seu trabalho em um escritório. Inove! Não se limite a tradições sem fundamento.

O céu é o limite quando se trata de conseguir novos clientes

Quando você se alia à tecnologia sua atuação profissional não tem limites. Você pode atrair clientes de qualquer lugar, já que a presença física é só um detalhe.

Ninguém tem um cliente só. Mesmo que tenha, esta não é a intenção. Controlar todas as ações - do primeiro contato até o encerramento do processo - é possível se você escolher um software jurídico adequado. Ele vai fazer o papel do seu escritório, tudo online.

Como cartão de visitas, você pode escrever artigos e disponibilizá-los na internet, mostrando valor para pessoas que estão em busca das soluções que você pode oferecer como profissional. Aproveite as plataformas de publicação; seu conteúdo será melhor distribuído nelas do que em seu site com poucas visitas. Isso te dará alcance nacional, senão internacional.

Você não precisa estar no mesmo lugar que seu time

Trabalhar remotamente não exclui o trabalho colaborativo. Se a tecnologia permite que você advogue para pessoas distantes de você, por que não contar com o apoio de outros profissionais também remotos?

Isso é possível.

Estruture uma rotina, entre em contato com profissionais de confiança e crie seus vínculos com eles.

Gerenciar isso se torna simples quando você usa plataformas apropriadas para encontrar o apoio adequado. Quanto melhor você organizar e distribuir o trabalho, mais produtivo e rentável seu trabalho será. Mas lembre-se: valorize o profissional que você contrata, com isso você valoriza sua própria classe.

Fuja do caos: preveja, delegue, organize-se

Trabalhar em casa demanda que você se organize e tenha um fluxo de tarefas bem definido para não perder o foco.

Ferramentas de gerenciamento de atividades podem ajudar a delegar tarefas. Editores de texto na nuvem podem facilitar o trabalho simultâneo. Você vai perceber que o seu tempo vai ser melhor aproveitado quando sincronizar agendas digitais e usar ferramentas para distribuir as atividades, por exemplo. O mundo está nas nuvens.

Esqueça o caos de ambientes barulhentos, onde todas as conversas cruzadas e pessoas falando o que as outras devem fazer atrapalham a concentração.

Não precisamos nem falar - mais uma vez - que você tem mil maneiras de se comunicar virtualmente. Foco. É só isso que você precisa.

Uma dica final: tenha metas e objetivos bem definidos, claros e fáceis de acessar. Assim, se o gestor do time não estiver disponível, outros membros saberão qual o fluxo ideal e quais são as tarefas que precisam ser completadas.

As duas principais vantagens que o advogado pode usufruir deste modelo de trabalho são a economia de tempo e dinheiro. Por exemplo: trocar as horas preso no trânsito por um período mais produtivo e trocar o custo de manter um espaço físico por trabalhar no conforto de casa. É mais fácil ser produtivo onde há foco e conforto. Sua saúde, seus clientes e sua mente agradecem.

20 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Ótimo artigo! :)
Migrando para home office, tem mais algumas dicas que deram certo para mim:

1) Ter horário definido para começar a trabalhar (e parar também);
2) Sempre tirar o pijama;
3) Ter um local específico para trabalhar - mesa de jantar ou sofá não dão certo a longo prazo por diversas questões;
4) Ter foco (evitar tv e outras distrações);
5) Ser organizada - isso o artigo explorou bem;
6) Fazer pausa para o almoço - essencial para a saúde. continuar lendo

Esse do pijama é muito importante! hahah continuar lendo

análise perfeita do trabalho homeoffice, que está crescendo devido à comodidade oferecida pela internet. continuar lendo

Excelente artigo! continuar lendo

Tudo muito bonito, mas a verdade é que desde que questões domésticas me obrigaram a me ausentar de meu escritório físico (o qual ainda mantenho junto aos parceiros), não tem sido nada fácil. A tecnologia ajuda sim e muito, especialmente na perda de tempo em viagens desnecessárias aos fóruns. Mas, ainda temos que ir, porque não é raro um peticionamento eletrônico cair no limbo do "juntada de petição" para todo o sempre, se não formos pessoalmente na secretaria pedir conclusão ou o que quer que seja. Olho no olho também não é substituído por e-mails e msg de Whatsapp. Nem mesmo pelo Skype ou qualquer modo de chamada com vídeo. Química é cheiro, é calor e dor. Não se constrói uma relação à distância facilmente, nem mesmo relações profissionais, e talvez principalmente essas. Coloquemo-nos na pele de nossos clientes e consulentes: não é fácil confiar no advogado. Advocacia é uma atividade que mete medo. Junte-se a isso todas as histórias sobre advogados que prejudicaram seus clientes propositalmente por acordos escusos realizados paralelamente aos interesses do cliente, e essas histórias vazam, imaginem a situação de um cidadão que necessita de advogado. Não é exatamente nos momentos fáceis da vida que a pessoa precisa de um advogado. A pessoa está com problemas, está com auto estima baixa, está vulnerável. E ela tem consciência disso. E vem o medo. O medo de que alguém, inclusive o próprio advogado, venha a tentar levar vantagem de sua posição de fraqueza. Então as reuniões com os clientes, especialmente a primeira, tem uma enorme importância que hoje em dia está sendo desprezada. O contato constante com o cliente para o estreitamento dos laços de confiança também são importantíssimos. Fazer tudo isso "on line" não é uma boa ideia. No entanto, manter a estrutura de um escritório físico é muito difícil financeiramente. O escritório mina todos os recursos auferidos no exercício da profissão e pouco ou nada sobra para que o cidadão advogado, que também é gente, possa sustentar a si mesmo e à sua família. Por isso, hoje sou simpática ao uso de escritórios compartilhados e modelos afins. A atividade 100% exercida em home office com auxílio da tecnologia é arriscada. O profissional pode chegar em um ponto 'x' do qual será difícil sair e avançar. continuar lendo

Eu trabalho home office, tenho um bom escritório em casa, mas não atendo clientes no meu lar. O que acontece é que os vizinhos acabam sabendo que há Advogada na área, e não é incomum tocarem a campanhia da minha casa às 21 horas, apenas no intuito de sanar uma duvidazinha...
Fico uma 'arara'. Peço para alguém entregar um cartão meu e mandar ligar para o escritório ou para o meu celular em horário comercial e agendar um dia e horário para efetivo atendimento.
Aprendi que tem que haver critério com a invasão generalizada de privacidade dos advogados.
Sim, antes que eu esqueça: - eu cobro consulta até de vizinhos, viu?
Não dispenso mesmo!

Estou em coworking, tenho endereço fiscal, tudo certinho, duas secretárias, ambiente privilegiado, etc e sei que é muito bom e prático, além de barato.
Vez ou outra, sinto falta de um escritório pra chamar de 'meu'! Acho que é costume, hábito.
Passados alguns instantes, logo me lembro dos conselhos da mamãe: - costume é o que mata o corpo, minha filha!

A OAB daqui está oferecendo o serviço de salas compartilhadas gratuitas na sua sede. Um andar só para os advogados (principalmente os mais novos e os do interior do Estado) atenderem seus clientes.
Um luxo só!
Não usei o espaço ainda, mas devo testar um dia destes.

Também comungo com a sua ideia de quê tudo virtual, não rola... Ainda ontem uns três clientes me ligaram e perguntaram: - Onde fica o seu escritório, doutora?
Até quebrar este hábito...
Eu também gosto de olhar a cara do meu cliente e prezo que ele olhe a minha. Gosto do cheiro de gente e de fazer a leitura corporal e visual do consulente, tão importante nos dias atuais.

Quanto ao pijama... Trabalho com roupa surrada, velhinha mesmo, pois eu uso a cuca e treino-a para encarnar a profissional Burégio assim que adentro ao espaço reservado ao meu escritório home office.Produzo muito de camisola de oncinha, mas com 'garras de leoa e ideal de águia' para brigar pelos direitos dos meus clientes e pelo 'meu futuro' que acontece todo o dia. Rsrsrsrs

Um abraço, Dra Christina! continuar lendo

Excelentes ponderações, Dra. Eu já tive escritório (s) várias vezes mas sempre produzi mais que 50% dos trabalhos em casa mesmo, pois é onde estabeleço os melhores horários. Hoje em dia a manutenção de escritório físico é pouco viável. Por isso, tenho conseguido espaço físico em clientes onde tenho uma carga de trabalho maior, o que resolve muitos problemas. Li há pouco os comentários da nossa colega Dra. Fátima Burégio sobre os ambientes de coworking. Independentemente do que tenho feito é um opção que me parece interessante e irei pesquisar. continuar lendo

Concordo plenamente. Muito boa a assertiva. Além do mais, ainda hoje ainda existem milhões de processos físicos que requerem atenção maior do advogado, precisando ir mesmo ao fórum dar andamento, senão emperra. Além do mais, uma boa conversa cara a cara, como disse a colega, nunca é demais e permite transmitir confiança entre cliente e advogado. Nada contra a nova tecnologia que, certamente, veio pra facilitar em muito a vida do advogado. continuar lendo